Rainbow Rowell, Anexos

maio 21, 2016

Apesar de dois livros da autora já terem sido editados em Portugal - nomeadamente, "Eleanor & Park" e "Fangirl" - eu resolvi ler "Anexos" depois de ter visto o video da Tatiana Feltrin no youtube. Confio nela e não me arrependi, nem um pouco.
Adianto, desde já, que a escrita desta senhora é fenomenal, divertidíssima e tão fluída que me fez comprar o livro na quinta-feira de tarde e acabar de o ler na sexta, de noite. E eu tive tempo para trabalhar, comer e dormir. Ok?


"Anexos" conta a história de Lincoln. 28 anos. Não sabe o que fazer da vida desde que sofreu um desgosto amoroso: parece que não consegue avançar. E ainda vive com a mãe, atitude totalmente condenável pela sua irmã Eve - que é a sua confidente. Lincoln consegue uma vaga de emprego como "segurança informático" no jornal local "The Courier" e, aquele emprego em que ele pensa que vai desenvolver firewalls ou qualquer coisa relacionada com isso, terá como função pura e simplesmente ler os e-mails de todos os funcionários, jornalistas e redactores da empresa. Como assim? A história passa-se na virada do ano 1999 para 2000, época em que a Internet e o seu correio electrónico eram novidade. A política do jornal permite que os funcionários usassem o seu e-mail mas para - e só - assuntos relacionados com o trabalho. Tudo que fosse histórias pessoais, conversas nada a ver e até piadas porcas, Lincoln tinha como dever filtrar essas mensagens e advertir o funcionário de que não pode fazer aquilo.


Todos sabem que os seus e-mails são supostamente lidos. Inclusive, Jennifer e Beth; amigas que trabalham em departamentos diferentes e a partir de uma certa hora escrevem e-mails uma à outra contando tudo sobre a vida delas em diálogos hilariantes mas também sérios. É desta forma, através dos e-mails entre elas, que o leitor conhece as duas personagens... assim como Lincoln que começa a se interessar pelas conversas inofensivas e engraçadas das duas e não lhes manda a advertência. No meio do trabalho que detesta por se sentir um bisbilhoteiro, Lincoln, vê nos e-mails das amigas a sua distração. Desta forma, aproxima-se delas... e de tanto se aproximar, apaixona-se por uma delas: Beth.
Mas como é amar alguém que não se conhece nem o rosto? Como é amar alguém que não faz ideia que existes? Como essa história vai terminar?


O livro é muito engraçado. Ri várias vezes e não conseguia parar de ler; queria saber mais e mais sempre. Daí a leitura foi rápida mas totalmente "enjoyed". Senti que me prendeu e já imaginei todo um filme com o livro.
Uma pequena ressalva: o final foi demasiado abrupto e isso desconcertou-me um bocado. Penso eu que a situação era um pouco mais complicada para acabar com um, básico, "Tudo bem!". Mas fiquei feliz à mesma.

Adorei.
Em 5 estrelas a minha avaliação é: 4,8 hahaha
E agora quero ler "Eleanor & Park" da autora. 

1 comentário:

  1. Acho muito intrigante essa coisa de se apaixonar por uma pessoa só pela forma como ela escreve, sem realmente conhecê-la... <3

    ResponderEliminar

Deixa-me a tua opinião. É muito importante para mim.