"Não merece!"

junho 20, 2016

Foi isto que ouvi de uma senhora com cara de poucos amigos e que mais parecia um abutre emproado quando, após devolver o troco da sua despesa aqui no restaurante - que eram 10 míseros cêntimos - e o marido ter dito "Deixa o troco para a menina". "Não merece!".

Mas que mal te fiz, senhora?
Amigos e amigas, deixar gorjeta - vamos chamar de gratificação - ao garçon ou garçonete que vos atende não é obrigatório (embora deveria ser sim e fico feliz que países pratiquem os 10% da conta para o empregado de mesa) mas dizer "Não merece!" é demais. 

Querida, senhora. Deixe que eu lhe diga o que eu não mereço de facto e que vale por muito mais que os seus míseros 10 cêntimos. Eu não mereço que você chegue no meu salão de restaurante e a achar que é a sua casa, por mais que eu diga para se sentir à vontade e sentar onde queira e depois você tenha a liberdade de até se descalçar e eu ter que olhar para os seus pés imundos. Eu não mereço que traga as suas crianças irritantes que não soube dar educação em casa e as deixe berrar, fazer com que os meus ouvidos sangrem, partirem copos, jogarem a comida para o chão porque comem que nem galinhas que penicam tudo; aliás... eu não mereço que você resolva limpar a toalha com a sua própria mão, para o chão e deixe tudo em volta uma valente porcaria. Eu não mereço que você utilize o WC e deixe os papéis no chão; melhor, eu não mereço que você utilize o WC e não dê descarga e me deixe de presente um monte de merda na sanita para que eu dê o fim nele. E mais, quando utiliza o WC porque quer vomitar, o faça no bidé quando tem uma sanita disponível para isso. Eu não mereço e não faz parte do meu trabalho, ouvir tudo sobre a sua vida, como você já conhece a cidade aos anos, há quanto tempo não visitava, que tem que ir ao hospital e, mais ainda, quer saber quais os melhores sítios da cidade para visitar e ainda quer que, tal como um GPS, eu lhe indique a melhor direcção; quando não quer que eu lhe faça o favorzinho, vá lá de lhe chamar um táxi. Não mereço que resmungue comigo quando algo não lhe agrada na confecção da comida, pois, como deve ver bem... não sou eu quem estou na cozinha: mas tenho todo o prazer de lhe trocar o prato e arranjar uma solução junto consigo... mas precisa ser educada, está bem? Ah, eu não mereço ter uma sala cheia e mais mesas para servir e você me empatar para dizer que lhe dói o joelho e tem que ir fazer uma radiografia às X horas. E, mais, eu não mereço que você seja uma arrogante e entre no restaurante a informar que tem 15 min para comer (e eu digo, se não tem tempo, fique com fome). E eu não mereço que peça uma dose de comida que é para 2 pessoas, para a sua família de 5 porque "nós comemos pouquinho" e depois vá dizer que foi mal servida. E também não mereço que não tenha respeito nenhum pelos horários de serviço: o restaurante fecha às 22h! Mas que bem que chegamos aqui às 21h55, não é mesmo? A menina ali não terá vida própria, de facto. 

Minha senhora, eu não mereço falta de respeito e desdém pelo meu trabalho... e de facto, não quero os seus 10 cêntimos choradinhos
Espero que se entale com eles.

(Não peço desculpa se feri susceptibilidades) 

2 comentários:

  1. É terrível trabalhar diretamente com vários clientes porque aparece cada peça...! Mas tens de ter calma e não deixar que situações do género interfiram no teu humor. Keep calm!

    Sobre as gorjetas, já que falaste nelas, aqui é bastante comum as pessoas deixarem, seja em restaurantes, cabeleireiros ou outra coisa semelhante. E acho tão "bonito"!

    ResponderEliminar
  2. Que gente ! Infelizmente também já aturei muita gente assim

    ResponderEliminar

Deixa-me a tua opinião. É muito importante para mim.