Vou continuar a amar. Com restrições.

maio 22, 2017

Acabou. Não sei, ainda, lidar com isso. Para mim ainda era muito vivo que iríamos dar certo, casar, ver o Halley na velhice e no alpendre da nossa futura casa... seja lá onde ela fosse.

Mas em todas as relações, sejam elas quais são, é preciso um encontro de vontades. Não adianta eu querer se tu não queres. Não adianta eu doar se tu não vais doar ou eu gostar se já não gostas. E não tem problema nenhum eu não servir mais no teu mundo. Eu preciso é de maturidade para entender que a caminhada para ti não faz mais sentido, que eu não faço mais sentido, que eu não acrescento nada mais para ti. A nossa viagem acabou. Tu levantaste a âncora do teu barco e partiste, navegas por outros mares. Tristemente, eu fiquei para trás, na margem e a desejar que não tivesses ido. Sinto que o meu coração sangra por isso. Mas a minha coragem vai chegar para me fazer pegar nem que seja no barco menor, com remos. É na força que preciso me centralizar. É no amor que ainda é bonito. Que me trouxe alegrias, um crescimento e foi incrível. 

Com restrições e para que não me magoe mais do que já estou, continuarei a amar-te. Aquele amor bonito de ficar feliz pelas tuas conquistas, de ainda sentir um enorme orgulho em ti e de pensar que eu um dia fiz parte disso tudo, que eu fui um motivo e que eu tive oportunidade de viver isso. As conversas boas que tivemos, os risos que demos, o apoio mútuo que tivemos. Nada vai apagar isso. Nem quando esse amor todo deu, um dia, lugar a angústia e nem por todos os motivos que te fizeram partir.

Com restrições eu ainda vou olhar as tuas fotografias e tentar me recordar daqueles momentos e o motivo que me fez escrever nas bordas das instax "You're so beautiful, it should be criminal you could be mine". Dos momentos que passámos. Quiçá, do primeiro abraço onde sinto ainda o teu cheiro. É claro que não vou poder mais entrar na perfumaria para trazer esse resquício de perfume comigo - essa é a minha restrição. Mas vai ficar sempre na minha memória o primeiro abraço, o beijo, o adeus. 

Vou recordar-me que eu tive uma puta sorte em ter amado, em amar. Vou recordar que eu tive o mundo tão pequeno para os meus pés porque tu me fazias sentir enorme, gigante. 

Mas este amor, nesta nossa viagem, deixou de ser servido... e eu preciso de aprender a me levantar desta mesa.
Com restrições, vou procurar outro restaurante.

2 comentários:

  1. Muita força neste momento querida! Vais ver que aos poucos as coisas vão melhorando :)
    Olha, identificamos-te numa TAG no nosso ultimo post ;)
    Beijinhos**
    _________________________
    All The way is an adventure
    Jess & Rose Blog | Instagram | Youtube

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito obrigada, queridas!
      Vou ver e responder assim que puder. Muito obrigada por te lembrares de mim.

      Eliminar

Deixa-me a tua opinião. É muito importante para mim.